Nesse ultimo mês eu tive a oportunidade de participar de um programa de exchange na cidade de Gwangju, na Coreia do Sul, através da minha universidade no Canadá. Foi um mês muito intenso e cheio de experiências maravilhosas. Nesse post, vou contar um pouquinho sobre como o programa funciona e sobre o tempo que passei no país.

Eu tive aulas na Chonnam National University como parte do Summer Program deles, que acontece todo ano. Antes mesmo de ir eu já havia escolhido quais aulas iria cursar: Coreano (listening and speaking) e Economia de Desenvolvimento na Ásia. As aulas eram ministradas em inglês e valeriam como créditos para o meu degree no Canadá. 

Chonnam National University

Summer Program da Chonnam National University

As aulas ocorrem nas segundas, terças, quintas e sextas e nos outros dias acontecem atividades e viagens organizadas pelo summer program. Tive que escalar montanha, visitei um templo budista, fui a Seoul e Busan, e muito mais. 

O programa é muito bem organizado e durante todas as atividades há bastante staff pra dar suporte a todos os estudantes. Além disso, fomos divididos em grupos com pessoas do mundo inteiro, liderados por dois “buddies” coreanos – o que é ótimo para forçar você a sair um pouco da sua zona de conforto e interagir com pessoas diferentes. Meus buddies me levaram pra comer muita comida local, cantar muito no karaokê (é claro), e conhecer lugares interessantes que eu não teria conhecido sem eles. Ter buddies locais realmente faz a diferença no programa. O meu time acabou ganhando o nome de “Saude” porque saíamos pra comer e beber todos os dias haha 

 

 

Time Saude

Aulas

Como eu ja mencionei, eu fiz duas aulas durante esse um mês. Uma no período da manhã e outra a tarde. A minha aula de coreano foi no nível beginner (iniciante), o professor era Coreano e a aula era dada praticamente só em coreano. Na primeira semana aprendemos a ler o Hangul, e logo depois já passamos pra conversação. Não vou dizer que foi fácil, mas a língua não á tão complicada como parece e o ritmo intenso da aula ajuda bastante. Hoje já consigo entender algumas coisinhas, sobreviver e pedir comida – que convenhamos é o que realmente importa haha. Pra quem não falava nada de coreano no começo, acho que tive uma boa evolução. Alem disso, o fato de você ter buddies coreanos ajuda bastante na hora de aplicar o que você aprendeu em aula.

Aula de Coreano

A minha aula de economia foi “mara” e definitivamente a minha favorita. Minha sala tinha um bom balanço de estudantes coreanos e internacionais e o professor encorajava bastante a discussão entre todos então foi bem interessante ver as perspectivas diferentes do pessoal. O professor era ótimo, participava das atividades e passeios que a gente fazia durante a semana então víamos ele praticamente todos os dias hahaha

Acomodação

A acomodação é disponibilizada pela Universidade em dormitórios. Eu dividia um quarto e banheiro com uma estudante da indonésia. Comparado com a minha universidade no Canadá, o quarto era bem espaçoso e confortável. Tinha uma cama, vários armários e uma escrivaninha. Talvez a única coisa fora do comum seja o banheiro, que não possui uma cortininha no chuveiro então acaba totalmente molhado toda vez que alguém toma banho.

O dormitório em si é bem padrão e possui lavanderia, área de computadores, etc. A maior diferença para o dormitório da minha universidade canadense é que os dormitórios da Chonnam University eram separados entre meninas e meninos. 

Logo em frente ao prédio tem uma lojinha de conveniência. Ou melhor, na Coreia, logo em frente a todos os prédios tem uma loja de conveniência hahaha, além de restaurantes, papelaria, entre outras lojas úteis para os estudantes. 

Os dormitórios na Coreia geralmente tem regras de curfew (hora para estar em casa) e um sistema de pontos. Se você entrar no prédio entre 1am-5am você perde 1 ponto e, acumulando 10 pontos, você é “convidado a se retirar” do dormitório. Como eu fiquei apenas um mês, não sofri tanto com esse sistema mas os coreanos que eu conheci ja estavam cheios de pontos acumulados hahaha

* A estratégia é voltar depois das 5am (o que não é tão difícil porque quase tudo fica aberto 24 horas), ou pedir pra alguém abrir a porta pra você do lado de dentro porque daí sua digital não fica logada no sistema. 

Esperando dar 5am pra poder voltar pra casa e não perder ponto

Falando em digital, COREIA VOCE É O FUTURO. Não precisei carregar uma chave nesse pais, incrível como isso mudou minha vida (por favor, implementem isso em todo lugar). Para entrar no dormitório eu usava minha digital ou um código, e para entrar no quarto era um código também.  Pretendo começar essa campanha de automatização de portas já haha.

Campus 

O campus da universidade é lindo e enorme. Tem bastante área verde, tudo é muito bem cuidado e com muito paisagismo. Gente de todas as idades – não só estudantes – frequentam o campus e eu sempre encontrava gente fazendo coisa diferente por lá: yoga no gramado, passeio perto do lago, picnic, participando da feirinha que tinha a noite, etc. O pessoal realmente aproveita as oportunidades de fazer algo ao ar livre. A sensação de andar pelo campus é muito boa e é definitivamente uma das coisas que mais sentirei falta. Andar pelo campus funcionava também como academia e era um belo de um exercício. As ruas eram todas morrinhos (sério), nunca vi tantos morrinhos por metro quadrado. 

Passeios

Como já mencionado, toda semana tínhamos atividades que o programa planejava. Antes das atividades, os buddies coreanos faziam apresentações relacionadas aos passeios que a gente ia fazer e sobre a cultura coreana. Na primeira semana escalamos uma montanha em Gwangju chamada Mudeungsan, visitamos um templo buddista e uma cidade antiga fortificada.

Na segunda semana tivemos a oportunidade de vestir o Hanbok, a roupa tradicional Coreana, e participar de uma cerimônia tradicional de casamento, além de praticar a caligrafia e viajar para Seoul.

Na terceira semana tivemos um dia especial dedicado ao May 18th Democratic Movement onde assistimos um filme e visitamos museus e um cemitério dedicado àqueles que faleceram no conflito. Além disso, no final de semana os estudantes tiveram a oportunidade de passar um dia com uma família coreana. Como eu optei por não fazer parte dessa atividade de “homestay”, tive o fim de semana livre e acabei viajando para Busan.

Na última semana do programa, tivemos um dia dedicado a cozinha coreana, onde aprendemos a cozinhar o Bibimbap e fomos ao Boryeong Mud Festival. Todas as atividades foram muito divertidas e como  eu estava sempre com meu time, buddies coreanos e staff, deu pra aproveitar bastante sem se preocupar com algo dando errado. 

Apesar de ter ficado só um mês, o meu intercâmbio foi incrível e eu pude conhecer muito do país. Mal posso esperar pra voltar, ver todos os amigos que fiz e explorar ainda mais!

Procure hotéis em Gwangju clicando aqui!

Se você quer conhecer mais sobre a Coreia do sul, os lugares que visitei, e quer dicas para aproveitar o país ao máximo fique ligado no blog! E, se assim como eu, você teve uma experiência incrível na Ásia, compartilhe nos comentários.