Uma das opções de viagem na temporada de verão no Brasil são os cruzeiros. Pela facilidade, comodidade e preços baixos, a viagem costuma ser uma boa opção e existem adeptos de todas as idades. Nesse post, conto pra vocês um pouquinho sobre o que achei do navio Soberano, da empresa Pullmantur – afinal cada experiência em cada navio é diferente – e você que decide se vale a pena!

O Soberano é um dos únicos navios com sistema “all inclusive” desta temporada. Isso significa que você não precisa pagar nada por comida e bebida (inclusive bebidas alcoólicas) durante a viagem, e é por isso que nós escolhemos esse navio!

1 – Cabines

Nosso grupo era grande, e ficamos em cabines internas duplas, e externas triplas e quádruplas.

As cabines internas duplas tem um tamanho bom, suficiente pra dormir bem (a cama é boa) e tomar um banho. Você acaba perdendo um pouco a noção do tempo já que não tem nenhuma entrada de sol (as cabines ficam no meio do navio), mas pra gente isso acabou sendo uma vantagem já que dormíamos de madrugada!

As cabines triplas e quádruplas tem o mesmo tamanho das duplas, mas com camas de solteiro na forma de beliche. Acabam sendo um pouco mais apertadas, e são uma boa opção apenas se você quer economizar e não pretende passar muito tempo dentro da sua cabine!

Você pode ver todas as opções clicando aqui.

2 – Comida

O sistema all inclusive do navio dá todas as refeições, isso é: café, almoço e janta + um bar de snacks.

A comida com certeza não é o forte do navio. Simples e sem muito sabor, mas suficiente pra se alimentar bem. O café, o almoço e os lanches funcionam no estilo buffet, e existe a opção de jantar no buffet também.

Normalmente em cruzeiros se espera um pouco mais do jantar, que é o momento onde as pessoas se arrumam melhor e funciona no sistema a la carte, onde você escolhe entrada, prato principal e sobremesa. Esperávamos uma comida um pouco melhor nesse momento, mas ela era igual a do buffet, só que empratada!  Havia a opçõe de pagar em torno de 10 dólares por algumas refeições melhores, mas não provamos!

O bar de lanches sempre tinha pizza, hambúrguer, arroz, feijão e alguma carne. Ficava aberto durante a tarde e fechava as duas da madrugada. A pizza, principalmente, fazia sucesso e era bem boa, mas sempre tinha muuuita fila. Por fechar às 2hrs e a balada do navio fechar apenas às 4hrs, as vezes ficávamos com fome e sem ter onde comer até as 7h30 – quando abria o café.

Obs.: No buffet e na janta a la carte existem opções vegetarianas.

Além disso, existe um restaurante pago de comida japonesa, mas não comemos por la.

3 – Bebida

Existem vários bares espalhados pelo navio (na piscina, no cassino, no deck 7, um panorâmico) e todos contam com opções do sistema all inclusive e algumas outras que você tem que pagar. O pacote já inclui bastante coisa (cervejas nacionais, espumante, vinhos, tequila, vodka, muuitos drinks, licores, agua, refri e suco), mas por um preço justo você consegue comprar coisinhas ainda melhores! Alguns drinks custam na faixa de 1, 2, 3 dólares, e existem alguns pacotes pra ter acesso à essas bebidas pagas.

4 – Tripulação

No geral, nossa experiência com a tripulação foi terrível! Extremamente grosseiros, sem a mínima vontade de ajudar e demonstrando um desprezo por estarmos ali, com exceção do nosso garçom maravilhoso (beijo Rony). Foi chocante e muito diferente do esperado em um cruzeiro!

5 – Atividades

O navio possui diversas atividades todos os dias, e você recebe o itinerário na sua cabine no dia anterior. Alguns exemplos são oficinas, atividades físicas, bingo, teatro e festas. Com certeza sempre tem algo pra fazer.

 

6 – Estrutura

O navio é bem antigo, mas achei a estrutura bem boa. As cabines estão meio velhas demais, e o carpet fede na maioria dos lugares, mas fora isso tudo é bem bom.

O teatro é bem bonito, com um tamanho ideal pros passageiros, a balada é bem grande também!

A área da piscina é bem boa, mas as piscinas são pequenas demais pra tanta gente querendo entrar e acabam ficando meio nojentas.

O cassino é ótimo, tem dois bares bem agradáveis pra passar o tempo e tomar drinks/café, e as vezes rola música ao vivo, mas fecha cedo, 2hrs.

O Spa parece ser bem bonito, e a academia que fica junto dele é bonita e com equipamentos razoáveis. Os restaurantes também são bons.

Existe um bar bem legal no deck 7 também onde acontecem várias atividades.

Enfim, não senti falta de nada.

7 – Roteiro

Escolhemos o “mini cruzeiro” pois era o que cabia no bolso. Nosso roteiro foi o seguinte:

29/01 – Saída de Santos

30/01 – Rio de Janeiro

31/01 – Búzios

01/02 – Navegação

02/02 – Chegada em Santos

Ficamos bem satisfeitos com o roteiro, mas existe uma rota que vai até o nordeste algumas vezes durante a temporada.

8 – Preços

O preço da viagem é ótimo, pagamos aproximadamente R$ 2.100,00 por pessoa (já incluindo o transporte de ônibus de Floripa até Santos pela CVC), e esse valor pode ser parcelado em até 11x. Por tudo que estava incluído, com certeza o preço vale a pena e você só vai ter que gastar mais do que isso se quiser.

As coisas dentro do navio também não são caras, exceto as fotos (paguei o absurdo de US$ 17,30 por uma foto do grupo)! Pelo que olhei, as lojas lá dentro também não são muito baratas, mas tem promoção no último dia – então espere até lá pra comprar.

Conclusão: a nossa viagem foi ótima, principalmente porque estávamos em 17 amigos, então qualquer lugar seria tudo de bom, e o Soberano foi a nossa escolha pelo Open Bar (qualquer pacote de bebida alcóolica em um cruzeiro que não é all inclusive custa ao menos US$ 70,00 por dia).

Mas se você vai em família e é mais exigente com limpeza e qualidade (e pode pagar mais caro por isso), talvez esse Navio não deva ser a sua opção.

Para saber mais sobre o Soberano, clique aqui.