Que (quase) todo mundo gosta de viajar não é novidade, mas a situação do Brasil e da nossa moeda anda tão frágil que as vezes parece impossível fazer uma viagem incrível sem gastar rios de dinheiro, seja para dentro do Brasil ou para o exterior. Pensando nisso, reunimos algumas alternativas que te ajudam a viajas gastando pouco e podem te proporcionar momentos inesquecíveis.

Airbnb

É uma plataforma que facilita o encontro de apartamentos ou quartos para alugar, onde você fala diretamente com o proprietário do local. Há três opções de aluguel: apartamento inteiro, quarto inteiro ou quarto compartilhado e normalmente vale mais a pena que reservar um quarto em hotel.

Explicamos como tudo funciona passo a passo aqui. Há fotos, referências, tudo o que você precisa para tomara uma decisão na hora de alugar um local para aproveitar as férias. E claro, você pode se tornar um anfitrião e receber as pessoas na sua casa! Uma novidade é a oferta de experiências onde você se conectar com especialistas de determinado assunto nos locais de destino.

 

E claro, se você ainda não tem um cadastro clique aqui pra se registrar e ganhar um desconto na sua primeira reserva.

 

Couchsurfing

A tradução literal seria “surfando no sofá” e é basicamente o que a plataforma oferece. Tem o mesmo estilo do Airbnb, porém com um objetivo diferente. O objetivo é oferecer um estilo de viagem onde há uma troca de experiências entre anfitrião e hóspede, pois não há dinheiro envolvido. Isso mesmo: você não paga nada!

 

Mas claro que por essa razão não é tão fácil quanto alugar um quarto no Airbnb, pois você tem que mostrar para o seu host que realmente está interessado em ficar lá e porque seria mais legal ficar na sua casa do que em outro lugar. O que você pode oferecer de diferente e os interesses em comum… Esse tipo de coisa.

Você pode saber mais sobre o Couchsurfing e pegar nossas dicas clicando aqui. 

Worldpackers

Já imaginou ficar num hostel sem pagar a diária? Isso é possível no Worldpackers! O objetivo do site é reunir hostels que trocam hospedagem por algumas horas de trabalho por dia! Tem de tudo por lá e você pode escolher de acordo com as suas preferências, aventura na cidade, férias rápidas, praia… E também com o que você pode trabalhar: administração, social media, fotografia, bartender, chef, camareira, recepcionista, etc.

 

Geralmente o hostel oferece pelo menos o café da manhã, máquina de lavar e dois dias de folga além de uma cama. Mas a oferta varia de lugar para lugar, basta você procurar o que melhor se adeque às suas necessidades. É importante lembrar: o tempo mínimo é uma semana, mas muito hostel pede duas ou até mesmo um mês.

Workaway

O Workaway, que em português seria “trabalhar fora”, tem o mesmo lema do Worldpackers porém não somente com hostels. Você pode fazer de tudo, e o objetivo principal é a troca de cultura e interesses entre os hóspedes e os anfitriões. Você trabalhar algumas horas por dia e em troca receber acomodação e comida por dias ou até mesmo meses!

 

1º passo: Entrar na comunidade

2º passo: Fazer amigos e conversar

3º passo: Visitar e se integrar com a comunidade local

É um modo de viajar e fazer a diferença na comunidade, colocar suas habilidades em uso ou aprender algo diferente do que você está acostumado. Entre as atividades mais comuns estão ensinar inglês em comunidades, ajudar com hortas orgânicas em fazendas, trabalhar em hostels ou pousadas, entre outros.

Mind my House

Quem tem um animal de estimacao ou uma casa que requer cuidados (como com o jardim, por exemplo) sabe que querer passar um tempo fora pode vir acompanhado de uma dor de cabeca por nao saber o que fazer durante o período de ausência. O Mind my House foi criado para acabar com essa dor, conectando pessoas que precisam de “sitters” com quem está disposto a cuidar do seu animalzinho/casa enquanto você está fora!

A troca é muito lógica, enquando você viaja despreocupado, a outra pessoa cuida da sua casa em troca da hospedagem. A iniciativa comecou na Nova Zelandia em 2005 e a partir de 2007 comecou a ser paga para as pessoas que querem ser voluntárias e cuidar da casa alheias. Mas calma que é baratinho! Apenas $20 durante todo o ano! Para quem quer colocar sua casa à disposicao, o cadastro é gratuito.

Depois de fazer o registro você terá acesso à todas as ofertas ao redor do mundo e poderá criar o seu perfil para que as pessoas que vao colocar a casa nas suas maos te conhecam um pouquinho melhor. Parece justo né? E uma maneira muito legal de conhecer um novo lugar!

Helpx

HelpX é uma plataforma on-line que lista lugares que trocam hospedagem por algumas horas de trabalho por dia, no mesmo esquema do Workaway ou Worldpackers citados acima. A maioria das oportunidades é para trabalhar em fazendas orgânicas fazendas, pousadas, hosteis, e até barcos à vela que convidam voluntários para ficar com eles a curto prazo em troca de alimentos e alojamento.

HelpX é fornecido principalmente como um intercâmbio cultural, para ficar com a população local e ganhar experiência prática. No arranjo típico, o ajudante trabalha em média 4 horas por dia e recebe acomodações e refeições gratuitas para seus esforços, mas tudo varia de oferta para oferta.

Está presente principalmente na Europa, Autrália e Nova Zelândia, mas também pode ser encontrado no resto do mundo. Pesquisei um pouco no site e pelo o que pude notar as oportunidades sao mais para o interior dos países, em fazendas ou pousadas com o objetivo de retiro, uma ótima oportunidade para aproveitar a paz que esse tipo de local tem a oferecer, mas tem de tudo.

WWOOF

É uma plataforma especializada em oportunidades de trabalho em fazendas orgânicas no mundo todo. Segue o mesmo estilo dos últimos dois exemplos já citados onde você trabalha em troca de hospedagem e comida e como resultado conhece pessoas de todo o mundo e o estilo de vida de uma fazenda em qualquer lugar do mundo!

 

1º passo: escolher o lugar de destino

2º passo: encontrar a comunidade certa para você

3º passo: encontrar o seu anfitrião

4º passo: viajar e aproveitar sua experiência!

Já teve alguma experiência com essas ferramentas? Conta pra gente! Vamos AMAR te ouvir – e quem sabe pedir pra você escrever pra gente!