Já falamos aqui sobre as trilhas mais conhecidas de Floripa, mas existem trilhas em Floripa que nem todo mundo conhece. A Ilha oferece  paisagens e lugares paradisíacos às vezes desconhecidos pelos próprios moradores. Nesse post vamos listar algumas delas para que você possa apreciar Floripa de todos os ângulos!

Trilha do Morro das Aranhas

três opções de caminho para realizar a trilha no Morro das Aranhas: do Santinho até o Moçambique pela costa e beira do mar, do Santinho até o Moçambique por trás do morro (que passa pelas dunas), ou até o topo do Morro das Aranhas, que possui uma vista panorâmica do local. A última é a mais completa e conhecida pelos trilheiros.

Procurando acomodação em Floripa? Confira os melhores preços aqui.

O nome do morro vem da vista que se tem da Ilha das Aranhas quando se está no topo. De lá também é possível avistar as praias do Moçambique e do Santinho, bem como o Parque Estadual do Rio Vermelho.

Duração: em média 1,5h

Percurso: 5km

Início: ao lado do resort Costão do Santinho.

Dificuldade: Média / necessita preparo físico

Trilha do Morro do Lampião

 

Esse trajeto promete ter uma das vistas panorâmicas mais bonitas de Florianópolis, com 360° para o Sul da Ilha, abrangendo as praias do Campeche, da Joaquina, da Barra da Lagoa e do Moçambique, além da Lagoinha Pequena e da Lagoa da Conceição.

Tudo isso é possível pois no fim da trilha, há uma escalada na Pedra do Urubu, que permite o acesso à esse paraíso à céu aberto. Dado esse fato, é de se imaginar que a Ilha não seja das mais planas, haha. Mas todo o esforço no final vale a pena.

Uma curiosidade que eu achei super interessante é o motivo do nome do morro. Antigamente, os moradores locais tinham que subir com seus lampiões para orientar os pilotos de avião à pousar e não bater seus teco-tecos. Lá do alto também é possível avistar o campo da aviação utilizado.

Dica: Vale fazer a trilha de manhã bem cedinho para ver o sol nascendo no marzão azul, ou deixar mais para o final da tarde e assistir o colorido pôr do sol (lembre-se que você não deve esperar anoitecer completamente para fazer o trajeto de volta por motivos de segurança).

Veja o relato de quem já fez aqui!

Duração: em média 30min

Percurso: 1870 metros

Início: Rua Pau de Canela, no sul da ilha

Dificuldade: difícil / subidas íngremes

Trilha da Barra da Lagoa pra Galheta

A Galheta é conhecida como a praia de naturismo de Floripa desde 1986, mas tirar a roupa não é obrigatório. A trilha promete um visual incrível!

Para voltar, pode-se fazer a mesma trilha ou pegar um acesso mais fácil e rápido que terminará na Praia Mole.

Clique aqui pra ver um relato de quem já fez!

Duração: em média 2h

Percurso: 2km

Início: passando a ponte sobre o Canal da Barra da Lagoa

Dificuldade: média / percurso longo e com declives

Trilha do Farol da Barra

A trilha começa no mesmo lugar que a trilha com destino à galheta, logo após a ponte que passa o canal da Barra. Logo em seguida, você percorre uma servidão até a Prainha e no canto direito um portão indica o sentido da trilha. Mais adiante, uma indicação pintada numa pedra ajuda o trilheiro a seguir o caminho correto.

A trilha não é bem marcada e com estrutura, o que acaba fazendo com que se torne mais demorada que o necessário (seriam necessários 30 minutos mas com as atuais condições, leva-se quase o dobro).

O Farol está localizado na parte mais alta do morro, sobre uma laje de pedra e cercado por gravatás. É do alto desse morro que você terá uma vista panorâmica da Lagoa da Conceição, da Praia da Barra da Lagoa e da Praia do Moçambique.

Duração: em média 45min

Percurso: 1km

Início: após a ponte que passa o canal da Barra da Lagoa

Dificuldade: Fácil (porém pouco sinalizada)

Recomendações

Para fazer as trilhas sem problemas nós recomendamos levar sempre uma mochila com garrafa de água (quanto mais melhor) e lanches (sanduíches, frutas), tênis apropriado, repelente, boné / chapéu se o sol estiver forte, protetor solar e muita animação!

Importante informar que, principalmente fora de temporada, fazer uma trilha desacompanhado pode ser um pouco arriscado. Existem alguns relatos de assaltos e assédios, portanto é melhor estar em grupo.

E, claro, acho que nunca é demais lembrar: leve uma sacola plástica para guardar seu lixo e ajudar a preservar nosso meio ambiente!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.