Estar em Floripa é estar em contato constante com a natureza, muitas vezes sem se dar conta. Eu só fui perceber a saudade que eu sentia do mar e do verde quando saí e fui passar um tempo em cidades mais cinzentas e sem oceano pra ver todos os dias. Acho que é normal e acredito que seja uma das razões pela qual Floripa faz tanto sucesso com os visitantes; é uma ilha mágica.

Se você gosta de um contato ainda maior com a natureza, a nossa amada terrinha oferece muitas trilhas com diversos níveis de dificuldade e uma certeza: as vistas serão de tirar o fôlego. Vamos começar pelas mais conhecidas pois são o “único” modo de se chegar até os destinos finais. Digo “único” porque você sempre pode chegar pelo oceano, obviamente.

Costa da Lagoa

A trilha da Costa da Lagoa é ideal para quem não quer enfrentar penhascos e desfiladeiros. Como antigamente era conservada para o uso e charretes e cavalos, não possui muitos obstáculos. É praticamente toda em terreno plano, porém como a luminosidade não é alta, o solo é úmido com pedras escorregadias. O ponto mais alto fica após a Ponta da Areia, com uma vista panorâmica incrível dos arredores.

 Barquinhos e restaurantes na beira da Lagoa

Se você fizer a trilha até o destino final, passará por sete diferentes vilas: Vila Verde, Praia Seca, Praia da Areia, Baixada, Centrinho, Praia do Sul e Saquinho. A minha recomendação seria parar pelo centrinho e comer uma bela sequência de camarão. No caminho de volta você escolhe se quer pegar o barquinho que faz o papel de ônibus para a região e custa por volta de R$7,50 ou faz a trilha novamente.

Nós separamos um relato de quem já fez a trilha, você pode conferir aqui.

 Trilha Praia do Saquinho

Duração: 2h até o Centrinho, 4h até o Saquinho.

Dificuldade: Fácil / Médio por causa da extensão.

Início: Final da Estrada Geral do Canto dos Araçás.

Lagoinha do Leste

 Praia da Lagoinha do Leste

A Lagoinha do Leste é uma das praias mais bonitas da Ilha, preservada por leis ambientais desde 1992, com acesso à duas trilhas diferentes: uma pelo Pântano do Sul e outra pela Praia do Matadeiro.

A praia fica espremida entre dois costões que entram no oceano, formando quase uma pequena enseada de pouco mais que um quilômetro. O nome, é claro, é dado pela lagoa que existe ali, próxima ao costão esquerdo. A Lagoinha é famosa por ser local de acampamento de diversos turistas e locais que gostam da sensação de isolamento que o local fornece. Durante a alta temporada é possível encontrar uma tenda que funciona como bar bem próximo ao costão esquerdo, onde a trilha pelo matadeiro termina e também barquinhos que funcionam como transporte até a praia do Pântano do Sul.

Mesmo isolada a Lagoinha recebe muitos visitantes no verão. Eles montam suas barracas e usam a praia para nadar, mergulhar e surfar. Como os grandes balneários da Ilha, a Lagoinha do Leste já sente os primeiros efeitos da exploração, então não esqueça de preservar a natureza quando estiver por la (e SEMPRE).

+ Hospedagem com ótimos preços clicando aqui!

Chegando na praia você irá observar que no costão esquerdo há uma pedra no alto do morro. Muitas pessoas se aventuram à subir para ter a vista completa do lugar, porém acredito que a trilha seja mais como uma “escalada” de tão íngreme. Nós não recomendamos pela falta de estrutura.

Trilha pelo Pântano do Sul: Leva de 1,5h à 2h, conta com subida íngreme.

Trilha pelo Matadeiro: Costeando o morro, dizem ser a mais bonita das duas, demora em média 3h e também conta com subidas íngremes.

Fique com um relato de quem já fez aqui.

 

                                      Voltando de barquinho                                                                                                           Bar do Arante

Dica de ouro: Na volta vale parar e comer no Bar do Arante, à direita no final da rua de frente para a praia de Pântano do Sul. É um clássico da cidade e sua característica marcante são os milhões de bilhetinhos colados nas paredes, dando uma personalidade única ao local.

 Vista do Restaurante

Naufragados

O nome da praia vem dos diversos naufrágios ocorridos no local, o mais famoso deles foi em 1753 com duas embarcações portuguesas de onde mais de 300 pessoas, apenas 77 sobreviveram.

A Trilha da Praia dos Naufragados é uma das trilhas mais frequentadas da Ilha, principalmente durante o verão. A praia tem tudo o que pessoas que curtem natureza e história procuram: natureza intocada, pois localiza-se dentro do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, bateria de canhões do Forte de Naufragados, Farol de Naufragados (1861) e vista das ruínas da Fortaleza de N. S. da Conceição da Barra (1765).

A trilha é de nível fácil (eu fui durante o Ensino Fundamental com o colégio, então imagina mais de 30 crianças fazendo trilha, tem que ser fácil mesmo) e demora cerca de 1h.

Início: Seguir pela trilha que começa no ponto final da linha Caieira da Barra do Sul.

Dica de ouro: Durante a alta temporada, há esse restaurante da foto abaixo servindo almoço e bebidas (acho que servem prato pronto) na praia.

Restaurante

Confira aqui o relato de quem já fez e inspire-se!

Quer conhecer mais trilhas na cidade? Vem ver nosso post com Trilhas para fazer em Florianópolis e nao se arrepender!

Recomendações

Para fazer as trilhas sem problemas nós recomendamos levar sempre uma mochila com garrafa de água (quanto mais melhor) e lanches (sanduíches, frutas), tênis apropriado, repelente, boné / chapéu se o sol estiver forte, protetor solar e muita animação!

E, claro, acho que nunca é demais lembrar: leve uma sacola plástica para guardar seu lixo e ajudar a preservar nosso meio ambiente!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.