Me chamo Gabriela Machado, estudo Administração Pública e estou fazendo estágio em Munique, no sul da Alemanha. Vim através do programa Talentos Globais da AIESEC em março de 2016 e resolvi compartilhar um pouco dessa aventura com vocês participando do quadro mais querido aqui do blog: Morando por aí!

O que te levou a escolher a cidade/país?

Na realidade foi o país que me escolheu… Eu tinha quatro países diferentes em mente (México, Panamá, Holanda e Alemanha) e estava me aplicando para vagas e fazendo entrevistas em todos. Eu queria aprimorar meu espanhol ao mesmo tempo que gostaria de vir para a Europa, mas infelizmente a Espanha não oferecia muitas vagas remuneradas. Depois de um tempo a Alemanha passou a ser meu foco principal e acabei sendo aceita para trabalhar na Nokia daqui.

Você fez o processo sozinha ou por intermédio de terceiros?

Fiz o processo pela AIESEC, no programa Talentos Globais, como mencionei acima e você pode conferir mais detalhes sobre como o programa funciona aqui no blog.

Procurando acomodação em Munique? Confira os melhores preços aqui.

Qual foi a documentação necessária?

É necessário visto de estágio para vir à Alemanha, você pode conferir todos os detalhes aqui.

Como escolheu onde morar?

Como eu vim pela AIESEC, eles me deram todo o apoio necessário e eu não precisei me preocupar com isso. O que foi um alívio porque em Munique é mais difícil de achar um lugar para morar do que um emprego (e é sério). Eu moro um pouco afastada do centro da cidade mas é o apartamento da AIESEC mais próximo do meu trabalho, o que faz muita diferença no dia-a-dia. Eu moro com outros trainees de vários lugares do mundo que também estão aqui para fazer estágio, é bem internacional e eu uso o inglês para tudo.

Como foi chegar no lugar, qual foi sua primeira impressão? Te receberam bem?

Eu tinha um membro da AIESEC me esperando no aeroporto (parte do programa) que me acompanhou até em casa. Minha roommate tinha chegado apenas um dia antes de mim, então era tudo novo para nós duas, foi muito bom ter alguém passando pela mesma experiência que eu. A minha impressão foi muito legal, eu estava muito animada e fui conhecer a cidade a pé mesmo no frio.

Como é sua rotina?

Eu trabalho 7h por dia, das 9h às 17h e as minhas noites se dividem entre diversas atividades como aula de alemão. Os finais de semana eu uso para passear por Munique, viajar pelas cidades próximas ou descansar mesmo.

Como é o clima por aí?

Olha, se tem uma coisa que eu tenho saudade do Brasil é do sol! O verão demorou muito para chegar e já está quase indo embora, mas tiveram dias com temperatura acima de 30°C. É por isso que quando o dia está bonito os europeus lotam os parques da cidade, dá uma sensação de que você não pode perder um segundo do sol (porque só Deus sabe quando ele vai voltar a aparecer…) e também porque tudo é preparado para o inverno aqui, então quando faz calor, o único jeito é se refrescar pelos lagos da cidade. Em contrapartida, chegou a nevar em Abril! Era neve e sol, foi muito curioso pra mim. Mas como cheguei em Março, não peguei nenhum frio que já não tivesse experimentado antes.

Quais os lugares que você mais gostava de frequentar?

Eu ainda estou descobrindo a cidade, e sempre tento ir para lugares diferentes. Mas eu gosto muito das regiões universitárias e dos parques. Munique é muito verde, tem parque pra todo lado, tem o rio principal, o Isar e muitos lagos também, principalmente nas bordas da cidade. O Isar corta o Englisher Garten – maior parque urbano do mundo (sim, é maior que o Central Park em NY) e é o melhor ponto de encontro para se refrescar no verão.

Os alemães são muito curiosos, é comum você andar pelas margens do Isar dentro do Englischer Garten e se deparar com uma pessoa nua no meio de todos, sem nenhum pudor. E ninguém se importa, nem quem está lá pegando sol com os filhos, nem a pessoa que está na dela curtindo o rio sem roupa, eu particularmente acho essa mentalidade sensacional.

É aí que a gente percebe que o pré-conceito está nos olhos de quem vê. Outra curiosidade do parque é a onda artificial criada ali, logo abaixo de uma ponte, você pode parar e observar os “surfistas” em suas roupas de neoprene – e não importa a estação do ano, eles sempre estarão lá!

Quais os lugares que não estão nos roteiros turísticos típicos mas valem a pena conhecer?

Tem um café no topo da TUM, Universidade Técnica de Munique, que vale muito a pena conhecer! Como a cidade é toda baixinha, da pra ver muito longe, o pôr do sol é a melhor hora de ir pra lá. Nos finais de semana eles servem um brunch estilo self-service, você pega o que quiser e depois pesa o prato, como temos no Brasil.

Tem também o lago perto da minha casa chamado Bugasee (ou Riem-see), que eu amo. É um lago artificial e o azul da água é maravilhoso, eles até tem uma “praia”, que todo mundo me falou que era de areia, mas é pedrinha.

Outra coisa que vale muito a pena conhecer em Munique são os Biergartens, tem em todos os cantos da cidade. Nada mais é que um lugar onde você vai para beber cerveja ao ar livre. Eles tem comida também, mas o foco principal é o litrão de cerveja, já que você pode levar seus próprios petiscos.

Os mais famosos são no Englisher Garten, chamado Chinesischer Turm e um que fica no Viktualienmarkt no centro da cidade, ao lado da Marienplatz (principal praça da cidade onde fica a prefeitura). Na foto ao lado você pode ver os famosos litrões de cerveja e dois pratos típicos, Schnitzel e carne de porco acompanhada de batatas (sempre elas) no restaurante da famosa cerveja Augustiner, que também tem um Bier Garten.

Qual o custo de vida da cidade?

Munique é a cidade mais cara da Alemanha, então venha preparado. Achei que por estar na Alemanha, terra da cerveja, iria encontrar chopp por 1 euro em todos os lugares hahaha doce ilusão (media de 3,5-4 euros nos bares). É tudo bem caro por aqui, principalmente aluguel. Nos restaurantes mais baratos é possível comer por 10, 12 euros, mas eles são minoria. Sempre exite a opção de comer dönner/kebab por 4 euros, mas depois de um tempo não tem mais graça pois eles tem todo o mesmo gosto por aqui haha

O que você mais gostou de fazer durante sua estadia?

Eu estou adorando poder explorar a Europa no meu tempo livre! Em Maio nós tivemos três feriados em dias úteis então eu aproveitei pra colocar o pé na estrada. É minha primeira vez na Europa então está sendo uma oportunidade incrível! Estar em contato direto com culturas diferentes das minhas também é uma parte muuito legal de morar fora, principalmente na Alemanha que em muitas ocasiões é o oposto do Brasil, o que me faz refletir e aprender muito.

Eu estou priorizando muito conhecer outras cidades dentro da Alemanha mesmo e vivenciar a cultura de cada lugar e do país como um todo. É muito interessante ver as diferenças e semelhanças das regiões, principalmente norte/sul. Pela AIESEC eu ganho 50% de reembolso pelas viagens (transporte e acomodação) dentro da Alemanha por um programa de incentivo à cultura, o que acaba motivando mais também.

O que não se pode deixar de trazer de lá?

Cerveja, Augustiner de preferência porque só vende aqui e é MUITO boa! Um Dirndl para as mulheres ou um Lederhose para os homens, as roupas típicas da Bavária que as pessoas usam na Oktoberfest e em outras ocasiões típicas, como casamentos e às vezes até reuniões de trabalho (juro!). Um maß da sua cervejaria preferida, aquele canecão de 1l  onde se toma cerveja aqui na Bavária também é uma opção bem legal, tanto de lembrança para si mesmo quanto de presente.

No geral, como está sendo a sua experiência? O que você recomendaria e não recomendaria?

Está sendo maravilhosa, muito melhor que o esperado – e olha que eu tinha expectativas bem altas. Recomendo muitíssimo para todas as pessoas que podem e tem a oportunidade de passar um tempo fora, a cidade é linda, com um clima de “cidade pequena” mas com diversas coisas para fazer, principalmente agora no verão.

Comentando sobre um negativo aqui da Bavária: o comércio fecha às 20h de segunda à sábado, então você sempre tem que se programar para incluir o supermercado se não for direto para casa depois do trabalho e aos domingos nada abre além de cafés e restaurantes. Uma dica para comprar cerveja após às 20h (que não seja dentro dos bares e restaurantes) é o quiosque que fica no Isar, na estação Fraunhorstraße, é mais caro que os supermercados mas fica aberto até às 23h ou postos de gasolina.

Tem alguma outra dica legal para compartilhar?

Eu recomendo fortemente o aluguel/compra de uma bicicleta se você vier para cá durante o verão! A cidade é completamente preparada, plana, com ciclovias em todos os lugares (e mesmo onde não tem, os carros respeitam 100% as bicicletas). É uma delicia e uma forma de aproveitar o sol e tudo o que a cidade tem para oferecer (vocês podem ver minha magrelinha linda na foto ao lado).

Outra dica legal é que nos domingos diversos museus custam apenas 1€ para entrar, o que pode significar uma economia e tanto! E se você não gostar de pegar aqueles ônibus turísticos, a linha nº100 do transporte público tradicional passa por diversos pontos turísticos da cidade – e está tudo incluído no seu ticket (se você comprou um, claro).

Gostou de Munique? Vem saber mais sobre a cidade e a região:

Free Walking Tour de Munique

Oktoberfest: tudo o que você precisa saber sobre o festival de cerveja mais famoso do mundo

Lago Königssee, na Bavária

estágio na alemanha

Pinakothek der Moderne, aos Domingos somente 1€​