Estreando o Morando por aí em Portugal, vem a Camila Zaniboni Seba Salomão, 22 anos, estudante de Arquitetura e Urbanismo na UNISUL, em Floripa! A Camila foi fazer um semestre da faculdade em Lisboa e ficou 4 meses e meio na cidade, entre Fevereiro e Junho de 2016. Continue lendo porque a experiência vale a pena!

Torre de Belém – Lisboa, Portugal

O que te levou a escolher a cidade/país?

Eu escolhi Portugal, pois para os outros países europeus, como Espanha e Itália, era necessário fazer teste de proficiência e ter conhecimento da língua. E, ainda, como fui sem bolsa, Portugal era um dos países da Europa com custo de vida mais barato.

Você fez o processo sozinha (o) ou por intermédio de terceiros?

Como o meu intercâmbio foi feito por um convênio da minha universidade, todo o processo de documentação e aprovação foi feito pelo Exchange Office da minha própria universidade diretamente com a de Lisboa – ISCTE.

Qual foi a documentação necessária?

Depois de me inscrever e entrar para o processo seletivo do intercâmbio, no qual foram verificadas minhas notas e histórico escolar, recebi minha carta de aceite e tirei o visto de estada temporária para Portugal.

Como escolheu onde morar?

Como fui com uma amiga brasileira, dei preferência por um apartamento que tivesse dois quartos livres ou um quarto duplo, e, ainda, que fosse próximo do metrô. Por sorte, conseguimos encontrar um apartamento próximo da universidade, onde moramos com duas portuguesas.

Como foi chegar no lugar, qual foi sua primeira impressão? Te receberam bem?

Para mim Lisboa é a cidade com o céu mais azul e aberto que já conheci. A cidade tem ainda uns pontos muito bonitos e muita vida noturna. Infelizmente não tive uma impressão muito boa dos lisboetas, por não serem tão receptivos. Mas tive uma ótima experiência com portugueses de outras regiões e com todos os outros intercambistas que viviam por lá.

Eu e minhas amigas brasileiras, e nossos amigos da Alemanha e Espanha em Cascais – Lisboa, Portugal

Como era sua rotina?

Durante as manhãs eu ia para a universidade e a tarde normalmente ficava em casa para fazer os trabalhos da aula ou as tarefas da casa. Nos finais de semana, encontrava os meus amigos e íamos conhecer os pontos turísticos da cidade ou regiões vizinhas.

Como era o clima por lá?

De fevereiro a maio fez muito frio e, por isso, eu usava sempre casacos pesados e botas. No período final do intercâmbio, aproximadamente em maio, começou a esquentar e deu para aproveitar as praias e usar roupas mais leves.

Quais os lugares que você mais gostava de frequentar?

A noite eu gostava muito de frequentar junto com os meus amigos o Bairro Alto, Baixo Chiado, e Cais do Sodré, que eram os locais com mais bares e festas. Durante o dia, gostávamos de conhecer pontos diferentes da cidade.

Ponte de D. Luís em Porto, Portugal

 Palácio da Pena em Sintra – Lisboa, Portugal

Quais os lugares que não estão nos roteiros turísticos típicos mas vale a pena conhecer?

Com certeza não tem como ir para Lisboa e não conhecer Belém, Baixo Chiado, Bairro Alto, Alfama e o Parque das Nações. Em dias quentes, vale muito a pena conhecer a costa de Lisboa, como Cascais, Costa da Caparica, Sesimbra, Sintra, entre outros, ou até mesmo alugar um carro e ir até Lagos, locais que muitas vezes os turistas acabam não conhecendo.

 

+ Procurando hotéis em Lisboa com ótimos preços? Clique aqui!

Eu e minhas amigas na Praia de Dona Ana, em Lagos/ Algarve – Lisboa, Portugal

Qual o custo de vida da cidade?

Lisboa, sem dúvidas, é um dos locais mais baratos da Europa para viver. Lá, o aluguel mensal para um quarto individual é 250-300 euros, e duplo 200 euros por pessoa. Os preços do mercado são muito bons, então com 15 euros dava pra fazer compras pra uma semana. Outro gasto fixo que eu tinha era o transporte. Pagava 36 euros por mês e podia usar ilimitadamente os transportes dentro da cidade (metro, ônibus…)

O que você mais gostou de fazer durante sua estadia?

Tinha muitas coisas que eu fazia no meu intercâmbio e hoje sinto muita falta, uma delas era ir até Belém e comer o típico Pastel de Belém, beber sangria, escutar reggaeton com meus amigos e, principalmente, poder pegar o comboio (trem) nos finais de semana e ir para algum lugar próximo passar o dia (Sintra, Cascais, Costa da Caparica…).

O que não se pode deixar de trazer de lá?

Como fiz algumas eurotrips, a mala voltou bem cheia de souvenirs bem típicos de cada lugar, mas, de Lisboa, eu destacaria lembrancinhas com o Galo de Barcelos ou com os azulejos portugueses. Também são muitos famosos o bacalhau e o pastel de Belém, que tem em muitos lugares com embalagem adequada para trazer na mala!

 Prato típico: Bacalhau!

No geral, como foi sua experiência? O que você recomendaria e não recomendaria?

Intercâmbio é uma experiência que todos deveriam passar alguma vez na vida. Tive uma troca cultural e um ganho de experiência de vida muito grande! Como estudo arquitetura, conhecer a Europa foi vivenciar na prática tudo que eu estudei por livros durante anos. Embora em Portugal a língua seja o português, pude conviver e conhecer gente do mundo inteiro e praticar o meu inglês e o espanhol. A maior vantagem de todas é que a Europa possui companhias aéreas de low cost que permite que você viaje por inúmeros destinos por aproximadamente 10 euros. Agora já estou planejando minha próxima viagem!

Alguma curiosidade que deseja compartilhar?

Dica: antes de ir para Portugal, é importante dar uma pesquisada sobre algumas palavras que usamos aqui e que lá tem um significado diferente.

Quer entrar em contato com a Camila?

E-mail: camilazss@hotmail.com

Facebook: Camila Z. Seba Salomão

Instagram: zsscamila