Em Julho de 2013 a Olga Pinheiro, paulista de 22 anos, fez um intercâmbio durante um mês para estudar inglês em Londres, na Inglaterra. Já pensou em fazer o mesmo ou sempre teve curiosidade de saber como seria a experiência? Entao continue lendo para conferir os detalhes!

 Londres

O que te levou a escolher a cidade/país?

A ideia de ir pra Londres começou ainda pequena pela magia e elegância que eu via nessa cidade a cada vez que via Sherlock Homes, 007 e, claro, Harry Potter! Quem é fã de Harry Potter tem que conhecer Londres! Além disso, Londres tem o charme da família real britânica. Eu cheguei no mês de nascimento do príncipe George, o que deu um toque especial pra viagem, já que a cidade estava em festa com a chegada do príncipe. Londres é uma cidade histórica cheia de museus interessantes para aqueles que gostam de história, mas também possui um lado moderno e divertido, além de ser um ótimo lugar para compras, como em Oxford Street pode-se encontrar das mais diversas lojas e marcas ou Camdem Town.

Você fez o processo sozinha ou por intermédio de terceiros?

Eu optei por escolher uma agência de turismo pela facilidade de escolher as opções de curso, cidade e moradia que fossem condizentes com o tipo de viagem que eu queria fazer. O objetivo principal era fazer um curso intensivo de inglês combinado com turismo, então a agência me deu duas opções, ir para Brighton, cidade litorânea, que tem belas praias ou ir para Londres. Escolhi Londres pois  sempre foi minha primeira opção.

O bom da agência é que eu não tive grandes preocupações, eu escolhi a cidade, a escola, a moradia e o seguro saúde que achei melhor e eles cuidaram de todo o restante. Normalmente viajar com uma agência costuma sair mais caro, mas o acompanhamento e auxilio deles fez toda a diferença e me deixou mais tranquila, já que era a minha primeira viagem internacional.

Qual foi a documentação necessária?

Necessitei somente os documentos básicos, RG, CPF para o contrato e a matricula no curso além do passaporte, que é básico para uma viagem internacional. Neste caso não foi necessário pedir visto, pois o período foi curto e a Inglaterra permite a entrada com um visto de turista de 6 meses, que é dado ao entrar no país.

Londres

Como escolheu onde morar?

Eu escolhi morar com uma família britânica, pois além de ser mais barato que residência estudantil, permite a interação com nativos, o que ajuda muito na aprendizagem de uma língua. Pra mim foi uma verdadeira imersão de língua inglesa e de cultura britânica, pois tudo o que eu aprendia nas aulas, podia praticar e aprimorar com a família. Um ponto negativo é que tive que obedecer as regras da casa, então tinha que planejar meus passeios de acordo com os horários da família. Você pode escolher morar com uma família, que te dê café da manhã e jantar, ou pode escolher a opção sem refeição. Eu escolhi a primeira, pois fazer as refeições com a família permite maior socialização. Eu tinha o meu quarto, um espaço na cozinha caso quisesse cozinhar, só dividia o banheiro.

Londres é divida em cinco zonas, ficar no centro é prático por ter tudo perto, mas como o sistema de transporte publico inglês é bom e realmente integrado, bem mesmo, os ônibus passam quase sempre na hora definida que você encontra facilmente nos itinerários do ponto de ônibus. Então dá pra ficar em umas das cinco regiões e usar o transporte público. Eu optei por morar em Lee, um bairro que ficava na zona 4 e era perto de Greenwich, onde eu estudava. Quanto mais perto do centro você morar mais caro será. O transporte público funciona de acordo com a distância percorrida, mas existem bilhetes para um dia, um final de semana, uma semana e a versão britânica do bilhete único, chamada de oyters card, que você recarrega conforme a sua necessidade. Esses cartões facilitam muito a circulam pela cidade e você acaba conhecendo bem mais a cidade ao morar em um lugar mais distante.

Como foi chegar no lugar, qual foi sua primeira impressão? Te receberam bem?

A aventura começa logo ao descer do avião no aeroporto de Heathrow, pois a imigração é bastante rígida e eles fazem muitas perguntas. Pra quem ta aprendendo inglês, esse é um momento meio complicado, por que eles fazem muitas perguntas e falam muito rápido, então é bom se preparar para responder as tradicionais perguntas: o que você vai fazer no país, quanto tempo ficará, onde irá morar e até mesmo quanto de dinheiro você tem para viver ali. Depois que eles tem deixam entrar no país, existem algumas opções para chegar ao centro da cidade, que fica um pouco longe, mas dá pra chegar lá de metro, taxi ou transfer. Eu escolhi o transfer que foi agendado pela escola, e que me levou diretamente para a casa.

A minha primeira impressão foi bastante positiva, a cidade é enorme, bonita e bastante organizada. As pessoas são bastante agradáveis, nada frias como muitos pensam. Eles são mais sérios e reservados, mas são bastante sociáveis e prestativos, sempre ajudando um turista perdido.

 Vista do Edifício Shard

Como era sua rotina?

Minhas aulas começavam as 9 e iam até o meio dia. Como toda cidade grande, o transito pela manhã é intenso, então demorava uma hora de ônibus para chegar a Escola. A minha escola era a EmbassyCES, tinha uma ótima estrutura, com refeitório e residência estudantil para quem preferisse viver na escola. Depois das aulas eu ia passear pela cidade. A escola também possuía excursões pelos principais museos e teatros da cidade, além de viagens a outras cidades durante o fim de semana.

Como era o clima por lá?

Eu fui em julho, durante o verão, que é verão mesmo, como o de São Paulo, bastante seco e com temperaturas médias de 30. Londres é conhecida na verdade pelos dias chuvosos e meio cinzentos, então mesmo sendo verão, havia alguns dias de chuva. A cidade é preparada para o frio, então faz bastante calor em lugares fechados, principalmente no metrô. O melhor é levar roupas leves e não se preocupar tanto com a moda, porque a cidade é bastante cosmopolita, você encontrará os mais diversos estilos lá, do elegante dos executivos ao estilo Amy Winehouse de ser. Portanto, aproveite a diversidade londrina.

Quais os lugares que você mais gostava de frequentar?

Londres é cheia de parques, os meus favoritos eram Greenwich Park, Green park e Hyde Park. Os dois últimos são bastante turísticos por serem próximos ao Buckingham Palace, são ótimos lugares pra relaxar, ler um livro. Mas o meu favorito era Greenwich Park, conhecido pela linha de Greenwich, mas com muitas outras coisas legais pra fazer além disso, tem o navio Cutty Sark e alguns museus de navegação, mas eu gostava mesmo de andar pelo parque ou sentar na beira do Rio Tamisa. Ali tem um restaurante português chamado Nando’s, que vale a pena visitar a comida é ótima. Outro lugar incrível para ir é Tower Brigde, de uma lado fica Tower of London, um forte muito interessante para visitar, do outro lado da ponte tem um pequeno parque, com bancos e vários cafés que são ótimos para aproveitar os dias de sol.

 London Bridge

Quais os lugares que não estão nos roteiros turísticos típicos mas vale a pena conhecer?

Um lugar legal pra visitar é King’s Cross Station, onde você pode tirar uma foto atravessando a parede na plataforma 9 ¾, depois é legal explorar a estacao, ele tem uma arquitetura linda e várias outras coisas legais pra ver.

Londres possui várias teatros, quando eu fui estava passando Mamma Mia, Les Miserables e várias outras peças interessantes, mas tem que comprar os ingressos com antecedência.

Pra quem gosta de livros tem uma livraria chamada Waterstones, a maior deles fica na estação Piccadilly Circus e é uma verdadeira perdição para leitores aficionados.

Qual o custo de vida da cidade?

Londres é uma cidade cara, mas sempre da pra fazer tours mais em conta ou buscar restaurantes mais baratos. Para comer o melhor é buscar pubs locais, que tem preços mais em conta e ainda da pra provar a verdadeira comida britânica, Fish and chips e outras coisas assim. Também existem vários cafés e lojas de chá que são confortáveis e tão boas quanto Starbucks e Hard Rock café.

 Thaemes River, Londres

O que você mais gostou de fazer durante sua estadia?

A melhor parte da viagem foi ir a Bath e Stonehenge. Stonehenge é impressionante e tem uma paisagem incrível. Lá eu comi o melhor sanduiche de queijo cabra da minha vida, feito em uma fazenda que ficava ali perto. Depois fomos a Bath, que é totalmente diferente de Londres, tem uma arquitetura mais antiga e um ritmo mais tranquilo. Andar por ali é como estar dentro de um dos livros de Jane Austen. Inclusive lá tem a casa de Jane Austen onde se pode fazer uma visita temática.

O que não se pode deixar de trazer de lá?

Não da pra deixar Londres sem um motelom de Cambrigde ou Oxford. Pra quem gosta de futebol tem as camisar do Chelsea ou Maschester. Já pra quem gosta de chá, lá você encontra os melhores chás do mundo.

No geral, como foi sua experiência? O que você recomendaria e não recomendaria?

Londres foi a minha primeira viagem internacional e foi uma verdadeira aprendizagem em todos os aspectos; me virar falando uma outra língua, aprender a

andar pela cidade, fora a independência que é viajar sozinha. Vale a pena se aventurar por Londres e pelas outras cidades da Inglaterra e sair por aí explorando, você nunca sabe quantas coisas legais pode encontrar por lá!

Quer entrar em contato com a Olga?

E-mail: olgaybp@hotmail.com

Facebook: Olga Yasmin Pinheiro

Instagram: @olgyas