Oi pessoal,

Já contei aqui no blog a minha experiência no Morando por aí: Kelowna, Canadá e agora vim contar pra vocês sobre outra cidade que morei, Vancouver, também no Canadá. Eu me chamo Maria Victória, tenho 22 anos e estudo Engenharia de Produção Mecânica na Universidade Federal de Santa Catarina. Morei em Vancouver por 4 meses enquanto estagiava em uma empresa que fabrica soluções de medição para a indústria de óleo e gás. Passei as férias de verão estagiando e vivendo nessa cidade incrível, e não podia ter sido melhor!

 Monumento Inukshuk na praia de English Bay em Vancouver

O que te levou a escolher a cidade/país?

Quando chegou a hora de começar a aplicar para o estágio, eu mandei currículos para algumas empresas em Kelowna, Vancouver e outras ali por perto. Fui chamada para uma entrevista em Vancouver e consegui o estágio.

Você fez o processo sozinha ou por intermédio de terceiros?

Eu apliquei para vários estágios, porém a minha universidade me ajudou e mandou meu currículo para algumas empresas da lista deles e esse estágio que consegui era de uma das empresas dessa lista.

Qual foi a documentação necessária?

Eu fiz um currículo bem estruturado e uma cover letter. Nunca havia escrito, nem sequer sabia da existência de cover letter. Cover letter é uma carta que você escreve contendo informações extras sobre suas habilidades e experiências que estão no seu currículo. Como se estivesse explicando por que você é apto para aquele trabalho. Isto é muito levado em consideração no Canadá e você envia junto com seu currículo.

Granville Street no centro de Vancouver

Como escolheu onde morar?

Na verdade, eu já tinha um grupo de amigos que morava na cidade. Me mudei para o apartamento deles e dividíamos o aluguel. A gente morava em Surrey, que é no final da grande Vancouver. Era bem longe do centro de Vancouver e, por mais que fosse super tranquilo de chegar já que era só pegar o metrô, demorava mais ou menos 1 hora. Morar em Surrey era super prático, tinha tudo por perto, mercado, Mc Donald’s 24hrs haha, academia, restaurante, tudo só atravessando a rua, mas as coisas mais legais era sempre em Vancouver. Então, se eu tivesse opção na época eu teria pego um lugar mais próximo do centro.

Como foi chegar no lugar, qual foi sua primeira impressão? Te receberam bem?

Eu já conhecia Vancouver. Eu viajava quase todo final de semana de Kelowna para lá, então não teve muita surpresa. Eu já amava a cidade e já conhecia bem.

Como era sua rotina?

Eu trabalhava das 8h até as 17h. Como eu morava um pouco longe, tinha que acordar cedo e pegar um ônibus até a estação de metrô, que eles chamam de skytrain, e depois ir a pé até o trabalho. Quando chegava em casa, ia para a academia que era do outro lado da rua de casa e era 24h.

Como era o clima por lá?

Vancouver no verão é LINDO. É muito quente, faz sol todo dia e só escurece lá pelas 22h. De manhãzinha era um pouco fresquinho, mas nada assustador e por isso eu costumava sempre levar um casaquinho leve. Nas outras estações do ano, chove o dia inteiro por vários dias seguidos em Vancouver. A maioria das vezes é uma chuvinha que nem molha, mas se você for esperar a chuva passar para ir fazer alguma coisa você nunca vai fazer nada.

 Steam Clock em Gastown

Quais os lugares que você mais gostava de frequentar?

Eu costumava passear muito por Vancouver. Andava muito pela rua Granville, é lá que tem muitas lojas e uma balada do lado da outra. Eu adorava Gastown também, é uma área linda de Vancouver. Quando eu sentia falta de comida brasileira, eu ia em um restaurante brasileiro, um dos únicos em Vancouver por sinal, que tinha guaraná, coxinha, pão de queijo, polenta. O nome do bar era Boteco Brasil e aos domingos rola até um sambinha ao vivo. Já quando o assunto era gastar dinheiro, o Shopping Metropolis at Metrotown era o lugar.

Quais os lugares que não estão nos roteiros turísticos típicos mas vale a pena conhecer?

Pra quem estiver em Vancouver durante o verão, é obrigatório visitar Deep Cove, uma pequena baía. Fica um pouco longe do centro, mas vale muito a pena. O pessoal vai pra lá para fazer trilhas, alugar kaiak, fazer piqueniques. O lugar é maravilhoso.

 Deep Cove em North Vancouver

Qual o custo de vida da cidade?

Vancouver é uma cidade muito cara. Eu ganhava “ajuda de cidade de alto custo” da bolsa do programa Ciência sem Fronteiras, assim como quando morava em Kelowna. Porém, comparando Vancouver com Kelowna, tive a impressão de Vancouver ser mais barata. Eu pagava $60 CAD por um mês de transporte, tanto metrô quanto ônibus e meu aluguel era bem barato também, por que eu dividia o apartamento com mais três pessoas.

O que você mais gostou de fazer durante sua estadia?

Nunca sei o que responder pra essa pergunta, porque eu me lembro do tempo que passei morando lá como um todo. Um todo de muito amor e amizade. Inexplicável a sensação boa que essa cidade tem.

O que não se pode deixar de trazer de lá?

Uma jersey ou alguma coisa do time de hockey da cidade, Vancouver Canucks!

No geral, como foi sua experiência? O que você recomendaria e não recomendaria?

MARAVILHOSA! Até hoje eu fico pensando na minha vida lá e já estou louca para voltar – dessa vez pra ficar, haha! No geral, a cidade é segura. É tranquilo voltar de ônibus da balada e tal. No centro de Vancouver você provavelmente vai ver alguns mendigos nas ruas, pois é uma das cidades mais quentes do Canadá. Mas é bem tranquilo, nada pra ficar com medo. Só não recomendaria passar a pé no cruzamento da rua Hastings com a Main. É uma rua completamente tomada por pessoas viciadas em drogas e assusta bastante assistir o que acontece por lá, além de ser perigoso.

Algo extra que deseja compartilhar?

Se você estiver na cidade final julho, acontece um competição de fogos de artifício chamado Celebration of Light por três dias. Cada dia é um país diferente. Ano passado foi China, Brasil e Canadá e no final eles escolhem um vencedor. Acontece na praia de English Bay e enche de gente, eles até bloqueiam as ruas para os carros. Vale muito a pena conferir.

Para entrar em contato:

E-mail: mvictorialins@gmail.com

Instagram: @mvictorialins