A Isabela Nagel fez intercâmbio pra Long Beach, na Califórnia, e foi estudar um ano de Design Industrial – curso que ela já fazia em Floripa. A universidade da Isa foi a California State University, Long Beach (CSULB) e ela ficou 1 ano e 1 mês, entre julho de 2014 e agosto de 2015, morando nos EUA. Confere com a gente como foi essa experiência de estudar fora:

O que te levou a escolher a cidade/país?

Os Estados Unidos sempre em encantaram mais do que a Europa, me identifico mais com as pessoas e lugares de lá mesmo sem ter ido para o outro continente. Eu tive a chance de escolher três opções de lugares (Califórnia, Miami e NY) dentre eles 2 eu já tinha visitado e o que eu estava torcendo para ser era Califórnia, que já estava em primeiro na lista de próximos destinos! Então foi sorte!

Você fez o processo sozinha ou por intermédio de terceiros?

Todo o processo de escolha de qual faculdade eu iria e mesmo depois de já escolhida foi feito pelo IIE (Institute of International Education), já que minha viagem foi através do programa do governo brasileiro Ciência sem Fronteiras e são eles os parceiros do programa fora do Brasil.

Qual foi a documentação necessária?

Passaporte com visto de estudante (para isso é necessário um formulário autorizado do IIE)

Como escolheu onde morar?

O programa já tem suas próprias regras e a gente nem recebia o dinheiro para moradia em específico, tudo já era pago sem precisar do meu intermédio. Como os dormitórios da faculdade estavam lotados quando cheguei, eu e outros brasileiros fomos realocados para um condomínio de apartamentos do lado da praia e a 10 minutos de ônibus da faculdade (muita sorte!) em Seal Beach. Nos últimos 6 meses abriram vagas no Campus e morei em 2 dormitórios diferentes, o que também foi uma experiência legal, tive uma vida bem universitária, fazia tudo dentro da faculdade.

Píer de Seal Beach

Como foi chegar no lugar, qual foi sua primeira impressão? Te receberam bem?

Eu tenho uma prima que mora em San Diego e assim que cheguei lá ela foi me buscar no aeroporto e me levou para esse condomínio em que eu iria morar, foi muito bom ter a presença de alguém da família pra diminuir o choque de realidade. Mas logo que cheguei já tinha uma representante da faculdade com quem eu já tinha trocado alguns e-mails antes de ir e ela foi super receptiva. Além disso, os brasileiros que chegaram pro mesmo programa que eu já estavam lá, então estar com eles foi como estar em casa!

Eu fiquei impressionada com o local em que o condomínio estava, em alguns passos eu chegava na praia de Seal Beach, era realmente um sonho, assim como na primeira vez que eu estive na faculdade, que é enorme e cheia de árvores, o campus é maravilhoso!

Como era sua rotina?

Minha rotina durante os primeiros 10 meses foi só voltada aos estudos mesmo. Tive um mês de intensivo de inglês e o restante foram 2 semestres de aulas de Design e Artes. Durante o tempo que morei fora do campus eu andava só de ônibus e era muito bom porque em todos os pontos havia um placa que avisa em quantos minutos o ônibus iria chegar – ele era sempre bem pontual!

Todos os ônibus tinham ar condicionado e eu tinha um cartão que retirei na faculdade e me proporcionava usar todos os ônibus de graça. Quando morei dentro do campus, a faculdade era tão grande que eu tinha que usar os shuttles que andavam por dentro dela pra poder ir pras aulas.

Nos últimos 3 meses, pra continuar lá através do programa do governo brasileiro, era necessário encontrar um estágio ou pesquisa. Eu consegui uma pesquisa com um professor de Design Gráfico que havia me dado uma aula enquanto estudei lá.

Como era o clima por lá?

Como eu passei um ano inteiro lá, consegui vivenciar todas as estações. O verão é extremamente quente e mesmo Long Beach sendo um cidade litorânea o clima é muito seco, assim como em toda a Califórnia. Durante o verão, as praias são lotadas e as pessoas estão sempre praticando esportes e transmitem uma felicidade que é muito contagiante! O outono e a primavera são muito parecidos em temperaturas, é um clima fresquinho (mais pro frio do que pro calor), mas a primavera fez o campus ficar lindo e todo florido!

Já o inverno é frio! Eu aproveitei pra viajar pra lugares na Califórnia que nevavam e aprender a esquiar, então eu passei bastante frio. Mas por mais frio que faça as pessoas não deixam de ir a praia! Eu achei engraçado no começo porque eles levavam barracas, muitos casacos e cobertores e passavam o dia na praia, mas depois eu vi que era muito legal e fazia isso também! (No inverno, o clima seco de lá atrapalha um pouco na respiração, além de deixar a pele bem seca!)

Heisler Park, Laguna Beach

Seal Beach

Quais os lugares que você mais gostava de frequentar?

Eu amava fazer as coisas ao ar livre! É uma cidade muito propícia pra isso e, apesar de eu já viver numa cidade litorânea, era muito prático pegar ônibus ou metrô e ir aproveitar outros lugares. Sempre passeava em O.C, Seal beach, Huntington Beach (onde tinha um café brasileiro e ia lá pra matar a saudade de comer pão de queijo e coxinha) e Laguna Beach. Já Los Angeles era um pouco mais longe pra ir de transporte público (de metrô podia demorar quase 2 horas), mas quando alugava carro sempre ia pra Santa Monica e Venice Beach que eram uns dos meus lugares preferidos.

Sem dúvidas eu aproveitei muito mais todos os píers do que as baladas a noite, eu era menor de idade (nos EUA a maioridade é apenas aos 21 anos) então não era em todos os bares que eu podia entrar. Quando tinha um que eu podia eu ia la conferir e posso dizer que é muito diferentes que as baladas do Brasil, desde o jeito que o pessoal dança até as músicas que tocam.

Apesar de ser simples, o meu programa preferido sempre era preparar uma mochila com água, comida, casaco (porque mesmo no verão, a noite faz frio), saída de praia e ficar o dia inteiro passeando por praias diferentes. No verão escurece muito tarde então o dia rende muito!

Quais os lugares que não estão nos roteiros turísticos típicos mas vale a pena conhecer?

É difícil citar os lugares que não estão em roteiros porque são muitos, mas eu digo que com certeza vale a pena conhecer todos os píers e as chamadas “Main street” de cada cantinho, eles são muito encantadores. Apesar de Pasadena estar em muitos roteiros, acho que não é muito comum as pessoas irem lá e deveriam porque é uma cidadezinha muito charmosa, principalmente a Old Pasadena. Fui por causa de um show e amei tanto que levei todo mundo pra conhecê-la!

Palm Springs também só costuma ser lembrado na época do festival Coachella, já que fica ao lado da cidade onde acontece, mas é uma paisagem muito diferente de qualquer outra por ser um deserto e tem bastante lugares pra conhecer tanto na cidade quanto ao seu redor.

 Palm Springs, CA

Qual o custo de vida da cidade?

O imposto na Califórnia é alto, 9%, então o custo de vida lá era alto. Qualquer comprinha do mês no supermercado não ficava por menos de 200 dólares. Nos restaurantes, prato + bebida custavam em torno de 30 dólares.

O transporte público era bem barato, o metrô era 2 dólares por passagem e ônibus era entre 1 à 2 dólares. Para alugar carro, descobrimos vários meios de pesquisar sempre pelo mais barato (tem sites em que você pode dizer o valor que você quer pagar por diária e ai cabe a alguma empresa aceitar e, se as propostas não são tão baixas, eles aceitam sim!) e assim as diárias, incluindo seguros, ficavam próximas dos 70 dólares.

O que você mais gostou de fazer durante sua estadia?

Se você vai pra Califórnia é quase uma obrigação fazer o caminho da Highway 1 que liga quase toda ela, mas especialmente o trecho do Big Sur que é entre Santa Bárbara e San Francisco, é maravilhoso! É longo e dura quase 8 horas, mas vale muito a pena! Eu fiz ele duas vezes e foi sem dúvidas um dos passeios mais incríveis. Eu amei também a roadtrip para o Arizona (estado vizinho à California) para conhecer o Grand Canyon, é uma paisagem tão perfeita que nem parece real.

Pra esquiar eu fiz uma viagem pra outro estado vizinho da Califórnia, Utah, mas fui de avião porque era um pouco mais longe! A cidade se chama Park City, linda, bem reservada apesar de ser bastante turística e é considerada a melhor neve para se esquiar. Foi muito legal e eu super indico! Apesar de ser um pouco longe, mas ainda mais perto que do Brasil, conhecer o Hawaii foi um sonho! E recomendo muito pra quem já esteja pela costa oeste!

Fora as viagens, algo que você não deve deixar de comer lá na Califórnia é o hambúrguer do In n Out. É uma rede de fast food que só tem lá e em outros 2 estados da costa oeste, é muito exclusivo da região!

Park City, Utah

Grand Canyon, AZ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O que não se pode deixar de trazer de lá?

Um boné do time LA dodgers (time de baseball), todo mundo tem! E, no meu caso, um post card de cada cidade que eu visitei.

No geral, como foi sua experiência? O que você recomendaria e não recomendaria?

Esse ano que eu passei fora foi incrível, eu sempre digo que gostaria que todo mundo tivesse a oportunidade de fazer um intercâmbio porque além de você conhecer lugares muito legais e pessoas novas, é uma experiência em que você descobre muita coisa nova sobre você mesmo e traz um crescimento pessoal enorme!

Acho que qualquer lugar que você possa ir vale a pena, mas como diz aquela música “Na Califórnia é diferente, irmão, é muito mais do que um sonho..”

Alguma curiosidade que deseja compartilhar?

Acho que uma curiosidade negativa, eu fiquei super decepcionada com a tal Hollywood Boulevard e a tal calçada da fama. A rua é suja e tem tanta gente passando que você mal consegue ver as estrelas no chão!

Quer saber mais? Entra em contato com a Isa:

E-mail: isabelanagel@hotmail.com

Facebook: Isabela Nagel

Instagram: @isabelanagel