Oi gente,

Me chamo Maria Victória, tenho 22 anos e estudo Engenharia de Produção Mecânica na Universidade Federal de Santa Catarina, além de trabalhar em uma startup. Morei em Kelowna, no Canadá, por um ano e meio enquanto cursava engenharia mecânica na University of British Columbia. Fui para lá no final de 2013 e voltei mais ou menos no meio de 2015. Vim compartilhar como foi essa experiência com vocês.

Cidade de Kelowna vista da Knox Mountain

O que te levou a escolher o país?

Eu pesquisei os lugares que tinham as melhores faculdades do mundo e quais as probabilidades de eu conseguir entrar em alguma delas. O Canadá era o país que tinha as maiores chances disso acontecer, tanto que consegui estudar numa das 40 melhores faculdades do mundo.

Você fez o processo sozinha ou por intermédio de terceiros?  

Fui pelo Ciências sem Fronteiras, programa de bolsa do governo.

Qual foi a documentação necessária?

Vish! Foi tanta coisa, principalmente porque antes de ser aceita na universidade eu tive que ser aceita pelo Ciências sem Fronteiras. Mas para aplicar para a faculdade precisei de histórico escolar, o histórico da faculdade traduzido, TOEFL e confirmação da bolsa pelo governo brasileiro. Como faz muito tempo, não lembro se tinha mais alguma coisa.

Como escolheu onde morar?

Inicialmente, eu queria alugar um apartamento fora da universidade pois tinha sido selecionada para um quarto na faculdade que teria que dividir o banheiro com umas 20 pessoas. Mas, no final das contas, consegui trocar o quarto para uma acomodação boa e acabei morando num apartamento ótimo dentro da faculdade.

+ Procurando hotel em Kelowna? Clique aqui!

Como foi chegar no lugar, qual foi sua primeira impressão? Te receberam bem?

Para ser bem sincera, eu fiquei um pouco assustada quando cheguei. Estava indo de ônibus de Vancouver para Kelowna e, assim que o motorista anunciou que estávamos chegando, eu olhei pra fora do ônibus, cheia de expectativa e ansiedade, e não vi nada, estava tudo escuro, TUDO. Não dava para enxergar absolutamente nada da cidade. Já parecia noite e eram apenas 16h30min da tarde! Admito que aquilo me deixou muito angustiada, de ter chegado na cidade onde ia passar um ano e meio da minha vida e não conseguia ver NADA. Rolou um chororo de desespero, mas logo passou. Haha!

Como era sua rotina?

Eu morava dentro da faculdade, então era só atravessar a rua que já estava nos prédios das salas de aula. Como meu curso era integral, eu tinha aulas no período da manhã e da tarde, mas minha agenda era tranquila. Sobrava bastante tempo pra outras atividades como academia, trilhas, leitura, festas, viagens, seriados. Acho que vi todas as séries que existem, haha.

 Inverno em Kelowna

Como era o clima por lá?

O inverno ficava em torno de 0 a -24ºC, bem frio e muita neve. Por conta disso, em volta da minha cidade tinha vários resorts de ski. Em compensação, o verão era um dos mais quentes do Canadá. Chegava a fazer mais de 30 graus, então os turistas lotavam a cidade pra aproveitar o calor e a praia de lago.

Quais os lugares que você mais gostava de frequentar?

Kelowna é uma cidade calma mas, como tem a universidade, é cheia de jovens e por isso tem várias festas e bares. Eu gostava de ir nas quintas em uma balada chamada Level. Era de graça para entrar e ainda ganhava um copo de cerveja e um cachorro quente ou um hambúrguer lá dentro.

O centro de Kelowna é lindo. É muito gostoso passear por lá, tanto na neve quanto em dias de sol. Passear na beira do lago, andar de skate, de bicicleta, correr. Quando tem sol, todos vão pra rua aproveitar o tempo bom. Durante o inverno, eles fazem uma pista de patinação no gelo em frente ao lago que vale muito a pena conferir.

 Sorveteria Moo-Lix no centro de Kelowna

Quais os lugares que não estão nos roteiros turísticos típicos mas vale a pena conhecer?

A sorveteria no centro chamada Moo-Lix. Eles fazem a própria casquinha do sorvete então, quando você entra na sorveteria, o cheiro das casquinhas fresquinhas saindo é maravilhoso. Além disso, no final da casquinha tem uma surpresinha te esperando.

Qual o custo de vida da cidade?

Bom, era uma cidade de custo de vida bem alto. Eu ganhava adicional de cidade de alto custo da minha bolsa de estudos. Eu pagava $750 CAD de aluguel por mês. Já comida e transporte era super barato. Comida saia uns $200 CAD por mês e transporte a gente ganhava passe universitário de graça para ônibus.

O que você mais gostou de fazer durante sua estadia?

O que eu mais gostei foi o dia-a-dia. Foi a rotina, o sentimento de pertencimento e auto-descobrimento que nunca tinha experimentado de forma tão intensa. Ter conhecido muita gente, feito muitos amigos irmãos que hoje continuam fazendo parte da minha vida foi muito gratificante. Também amei ter experimentado independência total durante esse tempo que morei fora do país.

O que não se pode deixar de trazer de lá?

Histórias para contar e maple syrup, haha.

Algo extra que deseja compartilhar?

Quem for para as montanhas esquiar, alugue uma cabaninha no resort Big White ou Silver Star. Nas cabanas do resort Big White tem até uma banheira de hidromassagem nas sacadas dos apartamentos. E durante o verão vale a pena alugar um barco com os amigos.

+ Reserve seu Hotel pelo Booking por aqui!

Para entrar em contato:

e-mail: mvictorialins@gmail.com

instagram: @mvictorialins